quarta-feira, 25 de maio de 2016

terça-feira, 24 de maio de 2016

KANTHA......




Pinterest.com

KANTHA, típico bordado do sul da Ásia, especialmente em Bangladesh ( Índia ).
Em sua forma tradicional esse bordado, consiste em pontos bem simples,chamados pontos corridos,
que perpassam por todo o tecido, formando os motivos, dando ao trabalho uma espécie de estampa bordada.
Antigamente praticado pela mulheres da zona rural, usado na confecção de xales, capa para espelhos e travesseiros, hoje mais aperfeiçoado e disseminado se evidencia em vestuários como os saris.
As Nakshi Kantha ( colchas de retalhos ) são também muito procuradas e valorizadas.
História à parte, rendo minha homenagem a essas mulheres com mãos tão talentosas.

sábado, 21 de maio de 2016

Delicadezas....

fonte: Tumblr.com


Pra combinar com esse sábado com chuvinha deliciosa.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

Saia do convencional....



Comece                                  fonte: Pinterest.com




                                pelos







                                                         Botões.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Criatividade?!!!!!!!!....é preciso

fonte: tunblr.com

Eu diria.....muita imaginação. Adorei!
Uma segunda criativa a todos.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Carinho pra passarinho...

fonte: tumblr.com

Essas criaturinhas fascinantes merecem.
Um ótimo final de semana a todos.

quinta-feira, 12 de maio de 2016

A beleza nas imperfeições....






fonte: Mymodernmet.com

A artista britânica Charlotte Bailey, inspirada na técnica japonesa KINTSUGI, recria vasos quebrados. Os cacos de porcelanas são revestidos com tecidos e costurados entre si com fios dourados, o resultado são lindíssimas recriações que mantém a forma antiga mas com uma nova roupagem. 
Para entendermos melhor: KINTSUGI é uma técnica japonesa de restauração de cerâmicas com laca e pó de ouro.
Na cultura japonesa, as peças que recebem essa reparação são mais valorizadas que as intactas, isso porque sua estética trabalha mais com questões da transitoriedade e a impermanência do que com a beleza propriamente dita.
Ao invés de se envergonhar com as "feridas" expostas, eles a embelezam para que sejam uma celebração constante da vida cotidiana.